AsBEA-SP promove o primeiro Painel de Arquitetura e Mercado 2020

Na última quinta-feira (6/2), a regional de São Paulo da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA) realizou seu primeiro Painel de Arquitetura e Mercado 2020, convidando associados e não associados para acompanhar um ciclo de cinco palestras com renomados profissionais do setor. Em formato de TED Talk, cada apresentação durou cerca de 20 minutos e contou com a participação ativa de aproximadamente 70 participantes. 

Esse é o primeiro encontro promovido pela regional paulista da associação, que já se planeja para promover pelo menos mais três edições do evento até o final do ano. A curadoria de conteúdo, que ficou sob o comando da vice-presidente de comunicação da AsBEA-SP e sócia da LPA Arquitetura, Pierina Piemonte, focou em diferentes eixos temáticos, a fim de abrir um leque de discussões importantes sobre o futuro do mercado brasileiro de arquitetura e urbanismo. 

A abertura do ciclo ficou com a diretora de Healthcare no estúdio paulistano da Perkins&Will, Lara Kaiser, sob o tema “Implantação de instalações hospitalares em edificações pré-existentes”. Além de explicar a conjuntura que já fez muitos projetos hospitalares se instalarem em edifícios já construídos - como a quebra de planos de saúde, o aumento na demanda de uma classe B de atendimento e a indisponibilidade de grandes terrenos nas cidades grandes para a construção de novas unidades -, a arquiteta explorou os desafios e oportunidades do nicho de mercado, destacando cases como o Hospital Torre AK. 

Em seguida, sob o tema “Infraestrutura de transporte: possibilidades”, Marcelo Consiglio Barbosa, sócio diretor do Bacco Arquitetos Associados, usou exemplos datados da década de 70 para fazer uma retrospectiva importante da evolução do setor ao redor do mundo, abrindo inúmeras possibilidades arquitetônicas para o nicho. Destacou ainda as oportunidades que devem ser geradas para o mercado de infraestrutura nos próximos anos, convidando os profissionais a se aprofundarem nas questões legais para melhorar a ocupação das grandes cidades.

Na sessão “Incorporação: afinal que mercado é esse?”, comandada pelo sócio fundador do Königsberger Vannucchi Arquitetos Associados, Gianfranco Vannucchi fez uma retrospectiva de sua trajetória no mercado, inicialmente incorporando apenas edifícios corporativos, e sobre os desafios vencidos ao expandir sua atuação para novos segmentos, como o residencial.

No painel “Indicadores da indústria de materiais”, ministrado por Laura Marcellini, diretora técnica da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), foi possível entender como lemos a economia através do consumo de materiais. Depois de analisar a representatividade da cadeia produtiva da construção no PIB brasileiro e de apresentar os últimos resultados da indústria de acordo com pesquisas feitas em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), Laura revelou as expectativas da associação para 2020. 

Fechando o ciclo, Arthur Sylos Berni, arquiteto e Profissional de Gerenciamento de Projetos (PMP) certificado, falou sobre o “Impacto da arquitetura corporativa do ponto de vista de ocupante”. Com exemplos práticos, o profissional abordou as skills necessárias para que um escritório de arquitetura atue com excelência no mercado de projetos corporativos, olhando sempre para as necessidades dos ocupantes. 

Segundo a vice-presidente de comunicação da AsBEA-SP, Pierina Piemonte, o evento superou as expectativas da regional, e o próximo encontro deve acontecer em maio.