Do desenho à entrega final: a importância do arquiteto na gestão de obras

Você sabia que a gestão é um dos fatores determinantes para o sucesso final de uma obra? E que o próprio arquiteto, enquanto mentor dos projetos, tem total aptidão para garantir que os serviços ocorram dentro do prazo, sem estourar o orçamento previsto e da maneira mais fiel ao escopo possível?

Como idealizadores do projeto, eles têm perfeito conhecimento sobre os pormenores da obra, já que estiveram mergulhados na concepção das plantas e detalhamentos, definiram o espaço em parceria com o cliente, visitaram o local de implantação, conheceram suas limitações efetuaram as especificações de acordo com os resultados esperados, além de estabelecerem em conjunto com o cliente a seleção dos fornecedores aptos a garantir o desempenho final dos sistemas, o comprimento do orçamento aprovado e os prazos previstos de entrega.

Uma gestão bem feita começa antes do início da obra. “Durante a fase de projeto executivo vários detalhes são verificados e acordados com a equipe de gestão, a fim de garantir o resultado final esperado. Trata-se de uma das etapas que agrega muito valor ao processo e ao sistema de cotação da obra, que envolve quatro planilhas com todas as especificação e quantidades do projeto - uma para a obra civil, uma para acabamentos, uma para mobiliário decorativo e acessórios e outra para mobiliário corporativo. Com este material em mãos, que é previamente enviado para os fornecedores após uma apresentação do projeto e a visita ao local, é possível efetuar a comparação real das propostas, possibilitando melhor negociação e análise dos serviços e produtos, melhor entendimento dos custos e benefícios e mais clareza e transparência ao processo. Além disso, após as negociações, o cliente passa a ter um controle físico-financeiro que o permite acompanhar o andamento da obra e os pagamentos a serem efetuados” explica Isabella Leonetti, arquiteta e sócia do LPA Arquitetura.

Outra atribuição do arquiteto que assume a frente do gerenciamento é aprovar os projetos no condomínio ou shopping center, algo que comumente é feito pelos próprios clientes.  

Obra a quatro mãos

Ao definir um cronograma claro e realista para a obra, o arquiteto equaliza questões críticas que seriam provavelmente transferidas para o canteiro. Além disso, os prazos de entrega dos materiais e mobiliários já foram acordados em conjunto na etapa de contratação.

Antes mesmo do início da obra, na reunião de kick off, engenheiros e arquitetos trabalham juntos, ficando ainda mais fácil solucionar problemas técnicos que porventura surjam durante o andamento da obra. “Um precisa fiscalizar o outro. O papel dos engenheiros seria verificar se nosso projeto está bem detalhado. E o nosso é garantir que tudo está sendo feito conforme o escopo definido, detalhamento efetuado", finaliza Pierina Piemonte, sócia e arquiteta da LPA.

Foto em destaque: divulgação Michal Jarmoluk