Tá faltando produtividade? Invista nas pausas!

Em nosso último post, falamos sobre a importância de projetar espaços corporativos que ajudem os colaboradores a manter o foco no trabalho. Propositalmente, deixamos uma dica valiosa passar: as pausas!

Tão importante quanto manter a atenção focada nas tarefas diárias é saber parar. A ciência explica: seu cérebro só consegue se concentrar completamente em uma atividade por um período de 90 minutos, aproximadamente. É o que os pesquisadores chamam ciclo de descanso-atividade básico.

Pensando nisso, reunimos algumas dicas que podem ajudar a equipe a dar aquela turbinada na produtividade dentro do escritório:

- Parece outro lugar

Pense em áreas de descompressão e cafés com décor diferenciado dos outros layouts da empresa. A ideia é fazer com que os colaboradores realmente se desconectem do trabalho. No projeto de interiores desenvolvido pela LPA para a Bain & Company em São Paulo, uma estante em marcenaria convida as pessoas a se sentarem nos pés de uma árvore recheada de livros, uma área quase lúdica perto do layout onde o branco e o cinza prevalecem, num tom mais sério.

- Sinta o verde

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Queensland descobriu que incluir espaços verdes dentro dos layouts pode aumentar em até 15% a produtividade dos funcionários. Segundo Alex Haslam, autor do estudo, o espaço mais verde ajuda as pessoas a ficarem fisicamente, mentalmente e emocionalmente mais envolvidas com o trabalho.

Na sede da Almaviva em um edifício icônico em São Paulo, a equipe da LPA projetou gazebos cobertos num espaço rodeado por plantas e flores de diversas espécies acabaram sendo muito utilizados para reuniões e conversas informais, onde muitas e boas ideias costumam surgir:

Mais um exemplo clássico são os painéis verdes em paredes, como no escritório da fairlife em Chicago, com projeto do Box Studios (fotografia por James John Jetel):

- Por que não dormir?

Um estudo da American Sleep Fundation constatou que uma soneca de 20 a 30 minutos te deixa mais alerta e produtivo, e outra da NASA, que foi mais além, mostrou que essa “pescadinha” melhorou a performance dos participantes em 34% e os deixou 100% mais alertas. Só não pode passar de 30 minutos, quando nosso sono entra em onda lenta e fica muito mais difícil de acordar, explica a neurologia.

Então, vale investir em espaços de descompressão que ofereçam a oportunidade de uma sonequinha rápida. Além de puffs, sofás confortáveis e até redes (como na sede da Bain & Company no Rio de Janeiro, também com projeto da LPA), é importante considerar no projeto um bom isolamento acústico nas salas, além de uma iluminação mais quente e indireta, que tranquilize o ambiente.

- Não rola dormir? Então mexa-se!

Mesmo um mobiliário ergonômico não dá conta de evitar a má postura que muita gente adota ao sentar para trabalhar. Uma caminhada pelo escritório ou alguns minutos de ginástica laboral ou exercícios de ioga na própria mesa do trabalho, além de “desligar” os colaboradores, são essenciais para prevenir lesões.

De olho na demanda, estúdios de ioga estenderam sua atuação e estão indo até as dependências das empresas para oferecer aulas semanais de curta ou longa duração para os funcionários. Pra isso, necessitam apenas de uma sala ampla e silenciosa. Na sede da Amobee, em Sydney, projetada pela The Bold Collective, um espaço batizado de wellness room foi criado especialmente para a prática (fotografia de Andrew Worsam):